TJ manda prefeitura de Rio Preto indenizar paciente

O TJ entendeu que houve negligência no atendimento médico na UPA Tangará

A Prefeitura de Rio Preto foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Estado de Jogos De Caça-níquel (TJ) a pagar R$ 15 mil de indenização por danos morais a Iracema Soler Gibin. Ela caiu dentro de casa e foi levada pelo SAMU para a Unidade de Pronto Atendimento do Tangará. Examinada pelo médico o Luís Antônio Pellegrini, foi dispensada após o diagnóstico de trinco no cóccix. Deveria repousar em casa após medicação.

Um mês depois, com fortes dores, foi encaminhada à Santa Casa de Fernandópolis onde se constatou em um exame de raio X que ela havia quebrado três vértebras e precisava de uma cirurgia. Na ação, ela acusou o médico de negligente e a UPA de não possuir os aparelhos básicos para o atendimento que realiza. No dia, não tinha um equipamento para o exame de raio X.

Ela acionou tanto a Prefeitura como o médico. Em Rio Preto, ela perdeu a ação. Em um recurso encaminhado ao TJ, ele entendeu que ela deve ser ressarcida e que o Poder Público em a obrigação de oferecer o equipamento e impedir negligência médica. O TJ não considerou o médico culpado, uma vez que o responsável é o Poder Público.

A Procuradoria Geral do Município informa que irá tomar ciência do inteiro teor e verificar eventual recurso, se for o caso.

Da REPORTAGEM